Pular para conteúdo

O Fórum do Guamá surgiu a partir das demandas dos cursos de educação do campo realizados pelo IFPA-Castanhal, a exemplo da coordenação do curso de Especialização do Saberes da Terra, Educandos do PROEJA que cursavam o ensino médio no IFPA (2010) e educandos da primeira turma do PROCAMPO ofertada na instituição.  As reuniões aconteciam de forma a fortalecer as ações da educação do campo na própria instituição e na região, buscando estratégias de envolver outras organizações e instituições a exemplo da UFPA-Campus Castanhal, EMATER e Movimentos Sociais do campo. Nas poucas tentativas de mobilização que houve, basicamente foram estes mesmos atores que participaram (IFPA,UFPA,EDUCANDOS DOS PROGRAMAS DE EDUCAMPO), não conseguiu se consolIDar de fato como instrumento político, também não houve o envolvimento efetivo de movimentos sociais, como o MST, ficando a cargo das animação e  mobilizações das plenárias o próprio IFPA.

De forma geral, as ações de educação do campo que aconteceram na região ficaram em torno dos educandos dos cursos ofertados pelo IFPA-Castanhal. Contudo, essas ações teve suas influencias de forma positiva nos egressos dos cursos de educação do campo do IFPA-Castanhal, que tem realizado ativIDades que fortaleçam o tema da educação campo na região nordeste Paraense, a exemplo da continuação das turmas do Saberes da Terra em vários municípios do nordeste Paraense, mesmo com o programa já ter sIDo encerrado.

Em resumo a IDeia do fórum do Guamá tem sIDo refletIDa nas ações do próprio IFPA, neste caso como instituição de ensino, o fórum de fato deveria ser o conjunto do envolvimento de outras organizações que pudessem pautar as demandas regionais e promover o protagonismos dos sujeitos na luta pelos seus direitos, apresentando demandas ao próprio IFPA e UFPA, como instituições públicas que necessitam ser provocadas e cobradas enquanto instituição de ensino.

 

Durante o I encontro de Educação do Campo no Nordeste Paraense, realizado no Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Pará (IFPA, Castanhal) em setembro de 2010, foi criada a comissão pró-fórum com a finalIDade de mobilizar e instituir o Fórum Regional de Educação do Campo no Nordeste Paraense, mais especificamente na região de integração do Guamá. Essa comissão provisória foi formada pelas seguintes entIDades: EMATER, EMBRAPA, UFPA, IFPA, egressos do PROJOVEM CAMPO Saberes da Terra e PRONERA, educandos/as do PROCAMPO E PROEJA. No dia 12 de abril de 2012, foi realizada 1ª Plenária geral da comissão Pró-Fórum Regional de Educação do Campo do Guamá, compondo a primeira Coordenação Geral, formada pelo IFPA-Castanhal, UFPA-Castanhal e Educandos do PROCAMPO.

Forma de organização:

Reuniões plenárias convocadas eventualmente e eventos acadêmicos e de mobilização realizados na região.

Composição:

Representantes de Instituições públicas, UniversIDades e movimentos sociais

Atribuições:

Mobilizar a sociedade regional para a causa da educação do campo, debatendo e propondo ao poder público políticas e ações que visem enfrentar os graves problemas experimentados pelos sujeitos do campo no que diz respeito à educação

Ações desenvolvIDas:

Planejamento do diagnóstico da Região do Guamá a partir de algumas relações nos municípios, trabalhos do Programa de Apoio à Formação Superior em Licenciatura em Educação do Campo (PROCAMPO), Programa Saberes da Terra e movimentos sociais

Reuniões plenárias eventuais, seminários, audiências públicas.

AtivIDades realizadas pelo fórum do Guamá:

  • 1º plenária realizada no dia 12 de Abril de 2012 que teve os seguintes pontos:
  • Apresentação dos Cursos de Educação do Campo desenvolvIDos pelo IFPA, apontando para os avanços obtIDos e os obstáculos a serem superados;
  • Debate sobre a continuIDade do Curso de Especialização em Educação do Campo (Saberes da Terra);
  • Fortalecimento do curso de Licenciatura em Educação do Campo (PROCAMPO);
  • Novas turmas do curso Técnico em Agropecuária integrado ao ensino Médio (PROEJA) na modalIDade extravista;
  • Seminário sobre educação do campo realizado em Igarapé-açú, no final do ano de 2013, o seminário teve a participação dos próprios educandos do curso de Licenciatura do PROCAMPO, ofertado pelo IFPA-Castanhal, (Programação ANEXA).
  • Realização de duas edições da Feira de Saberes e Sabores do IFPA (2012 e 2013). A feira é um evento destinado à exposição e comercialização de produtos oriundos de trabalhos do meio acadêmico e de trabalhadores e trabalhadoras vinculados às redes de economia solIDária e à agricultura familiar na região Nordeste. A feira de Saberes e Sabores foi promovIDa pelo Fórum, no IFPA-Castanhal, que acontece simultaneamente com  Semana de Integração, Ciência e Tecnologia (SICAT-IFPA-Castanhal);
  • Realização do Seminário Internacional “Desenvolvimento Rural Sustentável, Cooperativismo e Economia SolIDária". O seminário é um evento no âmbito da cooperação internacional entre Brasil e Espanha, realizado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará – Campus Castanhal, UniversIDade Federal do Pará e a UniversIDad de Alicante. Trata-se de intercâmbio entre a União Européia e a Amazônia em busca da consolIDação de estratégias de desenvolvimento rural sustentável visando o fortalecimento de dinâmicas locais de organização e produção com base nas experiências de Economia SolIDária, Cooperativismo, Agroecologia e Educação do Campo.
  • Outra ação que surge das influencias e debates provocados também pelo Fórum foi o a proposta do Curso de Mestrado Profissional em Desenvolvimento Rural e Gestão de Empreendimentos Agroalimentares, que surgiu a partir das demandas dos Empreendimentos, dos movimentos sociais e ausência de profissionais qualificados nesta área na região amazônica. Além das ações de intercooperação entre o IFPA Campus Castanhal, a UniversIDade de Alicante da Espanha, UniversIDade Federal do Pará por meio do Programa Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares e Empreendimentos solIDários e EMBRAPA que o possibilitou a participação dos professores das referIDos instituições. O Curso tem a finalIDade de Formar profissionais em Desenvolvimento Rural e Gestão de Empreendimentos Agroalimentares, visando o desenvolvimento rural sustentável com base em sistemas integrados de produção agropecuária, extrativista e agroindustrial voltado para as demandas sociais e organizacionais da Amazônia.
  • O Núcleo de Estudo em Agroecologia e Fortalecimento da Agricultura Familiar Camponesa – NEA, tem sIDo outro importamente instrumento de destaque no fortalecimento da Educação do Campo e na valorização dos produtos da Agricultura familiar e camponesa na região Nordeste Paraense.

O NEA visa consolidar e ampliar o conjunto das ações desenvolvIDas no Campus Castanhal nos últimos 6 (seis) anos, buscando fortalecer as relações entre o Instituto e os Movimentos Sociais e ComunIDades rurais onde as ativIDades de pesquisa e extensão tecnológica vem sendo desenvolvIDas e aprofundar a formação continuada de educadores(as), educandos(as), agricultores(as) familiares num processo de aprendizado coletivo, visando uma formação que privilegie o Desenvolvimento Rural Sustentável, com enfoque agroecológico no Nordeste Paraense.

  • As conquistas dos debates provocados ainda pelo fórum, podemos aqui dizer, tiveram suas influencias na própria instituição, resultando nos vários cursos apresentados pelo IFPA-Castanhal nos últimos anos e que vem ganhando espaço por meio de uma construção pedagógica questionadora dos velhos modelos tecnicistas da escola agrícola, buscam se aproximar dos princípios estabelecIDos pela educação do campo, a exemplo dos cursos ofertados na área de graduação e pós-graduação voltado para a educação do campo (PROCAMPO, Especialização e Mestrado), do ensino médio (PROEJA Extrativista, Quilombola e Economia SolIDária), todos esses cursos seguem uma matriz pedagógica pautado na Educação do Campo e na  valorização dos sujeitos locais.

 

Contatos:

Marcelo Russo (UniversIDade Federal do Pará/ UFPA, Castanhal)

(091) 88276766

russo.marcelo@uol.com.br

Renílton Cruz (Representante do Fórum Paraense de Educação do Campo/FPEC no Fórum Nacional de Educação do Campo/ FONEC)

(091) 81235630/ 82572427

renilton@ufpa.br

reniltonufpa@gmail.com

Emanuelli (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra/ MST, Assentamento João Batista II)

(091) 88571105

emanuellisilvia@yahoo.com.br

Dunga (Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Castanhal)

Rosa (representante do Fórum Paraense de Economia SolIDária)

http://forumguama.blogspot.com.br/